27/05/2017 às 15h00min - Atualizada em 27/05/2017 às 15h00min

Campeão de rodeio vítima de acidente precisa de ajuda

Contato direto com a esposa, Márcia Queiroz, pelo fone (67) 99889-1844.

agazetanews

O campeão de rodeios, Valdir Rodrigues, o “Corró”, como é mais conhecido pelos amigos e nas pistas de rodeio onde representa o nome de Amambai Brasil afora, precisa de ajuda urgente.

Ele permaneceu na UTI (unidade de Terapia Intensiva) do Hospital da Vida, em Dourados, desde o dia 8 de maio, quando sofreu um grave acidente de trânsito, em Amambai, e só retornou para casa essa semana, mas está em “coma vigilante” (condição em que o paciente está acordado e consciente, mas não pode se mover ou se comunicar).

Corró foi trazido para casa por recomendação médica, já que a proximidade com os amigos e ambiente familiar podem contribuir para a recuperação, se alimenta por meio de sonda e precisa de atenção especial permanente, mas para ser mantido em casa os gastos são elevados com alimentação, que é especial e outros tratamentos, luvas cirúrgicas e fralda geriátrica.

Parte desse material será fornecido pela Prefeitura, mas por conta dos trâmites burocráticos, podem levar certo tempo para serem disponibilizado e a necessidade é agora.

Valdir Rodrigues também necessita passar diariamente por tratamento de terapia neurológica (que contribui para a recuperação de paciente com traumatismo craniano).

O NASF (Núcleos de Apoio à Saúde da Família) de Amambai oferece o atendimento somente três vez por semana e o paciente tem que ser encaminhado até a sede do Núcleo, fator que no caso do campeão de rodeio é um grande obstáculo por conta da dificuldade de locomoção.

COMO AJUDAR

Entre as várias necessidades estão, alimentação por sonda, fraldas geriátricas tamanho “M” e ajuda financeira para pagar fisioterapia.

Para ajudar Valdir Corró a pessoa poderá entrar em contato direto com a esposa do campeão de rodeio, Márcia Queiroz, pelo fone (67) 99889-1844.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual o principal sentimento que você tem em relação à pandemia de Covid-19?

55.8%
3.3%
32.6%
8.3%