13/07/2021 às 09h33min - Atualizada em 13/07/2021 às 09h33min

Estiagem e Incêndios: Governo decreta situação de emergência em todo o estado de MS

O Governo do Estado oficializou nesta terça-feira (13) dois decretos que declaram situação de emergência em todo Mato Grosso do Sul por 180 dias: um deles está relacionado à estiagem e o outro aos incêndios florestais em qualquer tipo de vegetação.
 

Os decretos fazem parte das ações preventivas adotadas pelo Governo do Estado, enfatizadas pelo governador Reinaldo Azambuja em entrevista concedida à CNN Brasil. “Estamos com um programa através dos Bombeiros, juntamente com o Ibama, os brigadistas, de fazer uma base protetiva aos incêndios florestais. Estamos vivenciando um momento de extrema queda da umidade relativa do ar e uma geada muito grande, talvez uma das maiores que já tivemos, temos um clima extremamente seco e muito favorável aos incêndios. Dividimos essa base de proteção em várias regiões do Estado, já existem vários focos”.

Além do trabalho preventivo, Mato Grosso do Sul também investiu em equipamentos para ampliar o suporte de combate às queimadas. “Fizemos um grande investimento em aeronaves, treinamento de brigadistas, equipamentos para que possamos nos preparar um pouco melhor. Esse ano será também difícil, já que tivemos uma geada que acabou queimando muito em várias regiões do Estado”, destacou.

A anomalia de chuvas tem como consequência a seca, impactando diretamente na agricultura, na diminuição do nível dos rios, e principalmente a disponibilização de uma biomassa muito grande que pode gerar os incêndios em Mato Grosso do Sul.

O alerta de emergência hídrica emitido pelo Sistema Nacional de Meteorologia (SNM) para a região hidrográfica da bacia do Rio Paraná, que abrange diversas unidades da federação, incluindo Mato Grosso do Sul, está entre as justificativas para o decreto que declara situação de emergência para todo Estado afetado por desastre classificado e codificado como Incêndio Florestal, seja incêndios em Parques, Áreas de Proteção Ambiental, e Áreas de Preservação Permanente Nacionais, Estaduais ou Municipais.

Entre outros pontos, o decreto também considera os dados registrados no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais que nos meses de junho e julho de 2021, registrou 3.693 focos de calor em 72 municípios sul-mato-grossenses, e leva em conta ainda, o Índice Integrado de Seca (IIS) publicado em junho pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN), que indica condição de seca moderada a extrema no bioma Pantanal e em grande parte de Mato Grosso do Sul.

O outro decreto declara situação de emergência para todo Estado afetado por desastre, classificado e codificado como Estiagem. A decisão leva em conta a falta de chuvas regulares entre os meses de março e junho, que afetaram o abastecimento de água; a perda de produtividade e prejuízos que afetam o desenvolvimento das lavouras de milho segunda safra; e a tendência de chuvas entre 40% a 50% abaixo da média para os meses de julho a setembro.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual o principal sentimento que você tem em relação à pandemia de Covid-19?

56.6%
2.0%
32.9%
8.5%