17/06/2019 às 06h07min - Atualizada em 17/06/2019 às 06h07min

Pivô em crise no BNDES é amambaiense

Pivô do pedido de demissão do, então diretor do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento), Joaquim Levy, o advogado sul-mato-grossense Marcos Barbosa Pinto, entregou carta renunciando cargo neste sábado (15). Marcos é natural de Amambai,  e tem trajetória de serviços prestados a governos do PT.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) ameaçou demitir Levy após demonstrar insatisfação com a possível indicação a nomeação de Barbosa como diretor da área de mercado de capitais de banco.

O advogado amambaiense, já foi a assessor da diretoria e chefe do gabinete da presidência do BNDES em 2005 e 2006, durante o mandato de Lula. Depois, foi o mais jovem diretor da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), autarquia responsável pela regulação e fiscalização do mercado de capitais, até 2010.

Antes disso, foi consultor do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) junto ao Ministério do Planejamento de Lula, em 2004.

Nascido em Amambai

Marcos Barbosa Pinto nasceu e morou, por 15 anos, em Amambai. O advogado é filho de Almiro Pinto Sobrinho, que chegou a ser vereador e presidente da Câmara Municipal. Desde o início, Marcos descartou carreira política e após a adolescência saiu de Amambai para dar início ao trajeto como advogado.

Barbosa Pinto é doutor em direito pela USP (2008), mestre pela Universidade de Yale (2001) e mestre em economia e finanças pela Fundação Getúlio Vargas (2011). Também foi pesquisador visitante da Universidade de Columbia por alguns meses entre 2006 e 2007.

Ainda estava em Nova York quando foi chamado pelo ministro da Fazenda de Lula, Guido Mantega, para o cargo na CVM. Depois do fim de seu mandato na autarquia, ele seguiu a carreira no setor privado.

 

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual o principal sentimento que você tem em relação à pandemia de Covid-19?

54.6%
6.3%
31.2%
7.9%