18/04/2019 às 20h05min - Atualizada em 18/04/2019 às 20h05min

Capelania Cristã é implantada no Hospital Regional

agazetanews
Capelã Eugeny com o Presidente do Conselho de Capelania Cristã do MS, Adão José Pereira.

Raquel Fernandes

Com a missão de levar apoio emocional e conforto espiritual a pacientes internados, o Hospital Regional de Amambai recebeu neste domingo, dia 14, a cerimônia de implantação da Capelania Cristã.

A Capelania não possui uma religião própria e conta com o trabalho voluntário de visitadores hospitalares. De acordo com a missionária e Capelã responsável, Eugeny Alves do Amaral, o primeiro passo para que a implantação fosse possível, foi a realização de um curso para voluntários e profissionais de saúde.

Neste curso, formaram 23 visitadores hospitalares das mais variadas religiões. “Eles conheceram a ética hospitalar, aprenderam como se dirigir ao paciente, como conversar, entender o que deve ou não ser dito.”, informa Eugeny, que ministrou o curso em Amambai.

A formatura dos visitadores hospitalares aconteceu no sábado, dia 13, e contou com a participação do Capelão Presidente do Conselho de Capelania Cristã do MS, Adão José Pereira, que passou conhecimentos valiosos aos formandos. A presidente da Câmara, Janete Córdoba e o diretor do Hospital Regional de Amambai, Paulo Catto, também participaram do evento.

Para Paulo Catto, a capelania vem para somar na missão de proporcionar bem-estar aos pacientes, elevando a qualidade de atendimento. “Estamos no momento de reforma do hospital, ainda não temos uma sala específica para eles, mas as portas já estão abertas para os visitadores capacitados, que trabalham com muito respeito e ética, sempre pedindo autorização aos pacientes, respeitando as crenças de cada um, levando uma palavra de conforto, uma palavra amiga, de otimismo e fé. Eles não pregam nenhuma religião.”, comentou Paulo, enfatizando que a administração do hospital está a disposição da capelania, no que for possível.

A Capelania Hospitalar é uma grande aliada para o paciente e a família no momento da internação, auxiliando-os com aconselhamento, material devocional (folhetos, bíblias), oferecendo apoio emocional social, recreativo. O trabalho colabora com a humanização da assistência hospitalar por meio do fortalecimento espiritual.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a eleição para Governador fosse hoje, quem teria o seu voto?

35.8%
8.1%
7.5%
22.0%
11.6%
15.0%