27/03/2019 às 05h52min - Atualizada em 27/03/2019 às 05h52min

Moradores reclamam de destruição de área verde no Guaicurus

agazetanews/vilson nascimento
Para os moradores, a ação do empreendedor danificou a área verde da comunidade e o tráfego de caminhões carregados vai deteriorar ainda mais o asfalto no Conjunto Guaicurus. (Fotos: Vilson Nascimento)

Moradores do Conjunto Habitacional Guaicurus levantaram, nessa segunda-feira, dia 25 de março, a bandeira em defesa da área verde, ou área de preservação ambiental do bairro.

Segundo os moradores, para facilitar o acesso à localidade onde será construído um conjunto de casas de iniciativa privada, os proprietários destruíram parte da área de preservação ambiental da comunidade, que está situada às margens do córrego conhecido como “Areião” e ainda, com autorização de órgão municipal, abriu um prolongamento de rua que corta alguns metros da área verde para possibilitar o acesso ao futuro conglomerado de casas.

Diante da reclamação da comunidade, em busca de maiores informações sobre a questão, a reportagem do grupo A Gazeta entrou em contato com o secretário municipal de meio ambiente em Amambai, Luciney Bampi.

O secretário informou que estava em viagem, mas que já havia tomado conhecimento da situação e designado o fiscal da Prefeitura de Amambai, Vilmar Cubas, para atender o caso.

Procurado pela nossa reportagem, Vilmar Cubas informou que, de fato ocorreu degradação de uma área verde na localidade, porém o órgão municipal competente faria notificação aos responsáveis para restaurar a área cuja vegetação foi danificada, sob pena de sanções legais previstas em lei.

Segundo Vilmar, em relação a reclamação dos moradores sobre a rua em questão, que é a Rua Vitória Régia, a prefeitura, por meio da secretaria competente, ou seja, Serviços Urbanos, teria autorizado o empreendedor a prolongá-la até seu empreendimento, já que a rua iria, segundo o fiscal, além do limite do asfalto.

Os moradores contestam e dizem que a Rua Vitória Régia se finda com o fim do asfalto e dali para frente, o prolongamento aberto pela pessoa que construirá o futuro conglomerado de casas, atravancou ilegalmente, destruindo parte da área verde da comunidade, que não deveria ter sido mexida.

No final da tarde dessa segunda-feira um grupo de moradores retirou uma cerca, que segundo eles teria sido instalada de forma irregular na área de reserva ambiental e passaram corrente, prendendo com cadeado no portão colocado pelo responsável pelos terrenos onde serão construídas as residências para impedir a passagem de caminhões carregados com terra para a construção da terraplanagem da obra.

Os moradores alegam que o tráfego de caminhões carregados vão deteriorar mais ainda o asfalto, principalmente no trecho da Rua Vitória Régia, que já está em estado precário.

Segundo Vilmar Cubas, todas as demandas estão sendo remetidas aos órgãos municipais competentes para que seja encontrada uma solução para a questão.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

O atual prefeito, Dr Bandeira, deve tentar uma vaga de Deputado Estadual nas próximas eleições?

78.0%
22.0%