28/11/2018 às 04h55min - Atualizada em 28/11/2018 às 04h55min

Amambai se une em combate a cisticercose

agazetanews

A cooperativa C. Vale em parcerias com segmentos como o Sindicato Rural de Amambai (SRA) e a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) lançaram nessa segunda-feira, 26 de novembro, uma campanha visando a prevenção a teníase e a cisticercose, em Amambai.

Segundo a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) teníase e cisticercos são duas doenças parasitoses distintas, com sintomas diferentes causados pelo mesmo verme.

A teníase é causada por duas espécies de tênias, a Taenia solium e T. saginata, também conhecidas como “solitárias” e é adquirida através do consumo de carne crua ou mal cozida contendo os cisticercos (larvas).

Já a cisticercose é causada pelas larvas (formas jovens) dessas espécies e a contaminação ocorre pelo consumo de água ou de alimentos contaminados com os ovos da tênia (frutas, verduras mal lavados). 

A teníase causa sintomas variados do aparelho digestório (náusea, vômitos, diarreia ou constipação, cólicas intestinais, alterações no apetite), cansaço, perda de peso e sinais nervosos como insônia e irritabilidade. A pessoa infectada com cisticercose pode apresentar sintomas como dores de cabeça e convulsões, além de sintomas neurológicos como epilepsia.

Segundo o médico veterinário, da C. Vale, Cooperativa Agroindustrial, Marcos Michel Albuquerque, que levantou a questão e busca, junto com a Cooperativa e a prefeitura, a prevenção para a doença, Amambai já registrou vários casos de cisticercose, que inclusive resultaram em prejuízos à produtores rurais.

Os casos foram detectados durante fiscalização do SIF (Serviço de Inspeção Federal) em animais abatidos em um frigorífico local e os animais no qual o verme foi detectado foram descartados.

De acordo com o médico veterinário, em um caso recente, de 20 cabeças de gado que o produtor rural deixou para o abate no frigorífico, três registraram a presença de cisticercose e tiveram a carne descartada, causando grande prejuízo ao bolso do produtor rural.

Segundo a médica veterinária da Iagro em Amambai, Dra. Wara Yasmin Maluf Chambi Gavilan, a maior incidência de casos de cisticercose em bovinos tem sido registrado em propriedades próximas a aldeias indígenas.

De acordo com especialistas as fezes humanas transmitem a verminose para os animais, que comem a pastagem nas regiões onde a pessoa defecou, a solitária se reproduz no animal e retorna para o ser humano.

Os casos de maior incidência nas proximidades das aldeias se explicariam, segundo os especialistas, tendo em vista que os indígenas, em situação de caça ou até mesmo na busca por produtos de subsistências como lenha e até água para o consumo, acabam adentrando nas propriedades e fazendo suas necessidades fisiológicas nas pastagens, por exemplo.

O médico veterinário, Dr. Ednor Bampi, que é lotado na Prefeitura de Amambai, relatou que o único caminho para combater a teníase e a cisticercose, que pode ser fatal para o ser humano é por meio de vermífugo, mas segundo Ednor, há dez anos a hoje SESAI (Secretaria Especial da Saúde Indígena), parou de fornecer às comunidades indígenas, o vermífugo a base de Albendazol, medicamento indicado para adultos e uso pediátrico em crianças acima de 2 anos e é único que mata as chamadas “lobrigas chatas”, ou seja, a solitária, que segundo Dr. Marcos Albuquerque, em fase adulta pode chegar a medir 15 metros, se abrigando em partes mais úmidas do organismo das pessoas.

O secretário de saúde em Amambai,, Leonildo Acosta, o “Léo”, informou que a Secretaria irá se reunir com a SESAI objetivando firmar uma parceria para combater as parasitoses nas reservas indígenas.

O presidente do Sindicato Rural de Amambai, Rodrigo Lorenzetti, destacou a iniciativa da C.Vale em levantar a questão  e disse que a entidade ruralista vai atuar no sentido de informar e conscientizar o produtor rural em relação a prevenção à teníase e a cisticercose.

O ato de lançamento da campanha aconteceu na sala de reuniões da prefeitura, em Amambai.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a eleição para Governador fosse hoje, quem teria o seu voto?

35.1%
8.2%
7.6%
22.2%
11.7%
15.2%