11/01/2018 às 08h18min - Atualizada em 11/01/2018 às 08h18min

Pimenta do Reino XVIII

Desabafo de “gente grande”...postada na rede social Facebook:

Douglas Menezes de Oliveira
 
Quero compartilhar um fato ocorrido no Hospital Regional de Amambai . Sei que uma simples postagem na página de rede social nao resolve o problema. No entanto, desde já quero tornar público o ocorrido. Por esses dias precisei ser atendido no hospital, fui recusado de ser atendido, pois meu problema nao era "grave" na visao da enfermeira. Retornei para casa, e fiquei pulando de fármacia em fármacia precisando de uma soluçao. Tomei uma série de remédios e nada adiantou. Gastei mais de 150$ reais em antibióticos e nada. Entao esperei o natal e ano novo passar e o recesso tbm dos postos de saúde. Fui ao posto como último caso. Fui 5hrs da manha e fiquei até as 10:30h, mas consegui ser atendido. O médico perguntou se tivesse consultado e tomado o medicamento antes já esta curado. Obvio que teria resolvido meu problema, nao teria deixado agravar por simples vaidade de nao ir ao médico. Mas enfim, o médio receitei 3 laudas de receitas. Fui na famarcia do posto atendido e consegui apenas 1 medicamento. Sei que as vezes (quase sempre) esta em falta um série de medicamentos nas farmacias dos postos públicos. Fui orientado pelo médico do posto de saúde a tomar Benzilpenicilina Benzatina 1.200.000 ui o famoso "Bezetacil" no Hospital Regional. Seguindo a orientaçao me desloquei até lá as 10:45h e fui informado por uma jovem recepcionista que o Hospital Regional nao fornecia o medicamento. Ou teria que comprar o frasco, a agulha e a injeçao na farmacia ou teria que comprar do próprio hospital. Oi? Hospital esta vendendo medicamento? Sim exatamente! Tentei argumentar que tenho distinçao do público e privado, mas nao adiantou e foi solicitado que eu comprasse. E quanto aos medicamentos na receita médica, a jovem recepcionista diz que o hospital nao fornecia medicamento e que nas fármacias da cidade tem de sobra. Obviamente que nao me dirige ao hospital público com a intençao de custaer os medicamentos fornecido gratuitamente para os pacientes pós-consulta. Nesse sentido, fui ate a fármacia comprar os medicamentos e comentei sobre a questao da venda de seringas e agulhas intramuscular para bezetacil com os farmaceitos da cidade, acharam até irônico essa postura porque nem fármacia tinha esse material específico. Por fim, gostaria de compartilhar esse ocorrido, bem como o transtorno adquirido por esses dias. Acredito que essas coisas nao acontecem só comigo! Fica a pregunta: É lícito cobrar por um medicamento em hospital público? Uma vez que se trata de um medicamento que a meses atrás, antes da nova gestao municipal, era fornecido sem comprar na mesma unidade! Vai um alerta pra quem for pagar por medicamentos em hospital público. Bom quero ouvir das autoridads locais se essa prática é para todos no hospital público? Gostaria de saber, porque da próxima vez eu já vou previnido!

Link
Leia Também »
Comentários »

Se a eleição para Governador fosse hoje, quem teria o seu voto?

35.1%
8.2%
7.6%
22.2%
11.7%
15.2%