30/01/2017 às 19h20min - Atualizada em 30/01/2017 às 19h20min

Pimenta do Reino I

Conflito a vista
Na maior aldeia da cidade, ocorre uma disputa acirrada pelo controle dos principais cargos que sempre são indicados pelas lideranças indígenas. Ocorre que o novo capitão Adair Sanches, quer indicar para a direção da Escola Municipal Guarani-Kaiowá, o professor Daniel Vasquez. Já o grupo do ex-capitão Italiano Vasquez, não quer largar o osso e quer que o professor Rubens Aquino continue no cargo. Como os dois grupos parecem irredutíveis, vai sobrar para a administração municipal, que no final das contas é quem nomeia, resolver a “bucha”.

Mais cargos
Além da direção da escola, as lideranças indígenas escolhem desde merendeiras até os professores para serem nomeados e é claro o grupo que está no poder tem preferência. Resta saber se o “doutor” vai nomear para a direção da escola alguém ligado às invasões ou retomadas como os índios gostam de dizer e que foi candidato pelo PT, o Daniel, ou vai privilegiar a Elda Vasquez, que foi candidata pelo PSDB e nomear o marido desta, o Rubens.

Com o dos outros
Mal começou a administração e o novo prefeito já fez o lançamento de duas obras na Aldeia Amambai – o Parque Indígena e a quadra da escola estadual – além de iniciar a pavimentação asfáltica com meio fio e sarjeta nas ruas Alaor Sampaio Ferraz, Joacir Araujo Machado na Vila São Francisco e Rua Itá na Vila Doriane, com toda pompa e circunstância. Só “esqueceu” de mencionar que toda a verba foi alocada ou conseguida pelo ex-prefeito Sergio Barbosa, que deve estar dando pulos de alegria pelo “reconhecimento”.

Voltando
Passarinho verde contou à coluna que quem está de malas prontas para voltar à Amambai é o agora major Souza Lima. Ele voltaria para o mesmo cargo, de Comandante da Terceira Companhia da Polícia Militar, sob as bênçãos do prefeito Bandeira, de quem é muito amigo e inclusive ajudou na conquista de votos durante a campanha eleitoral.

Vereança
Dias tormentosos para os edis da cidade crepúsculo. As notícias dão conta de duas ações cíveis por improbidade administrativa, uma diz respeito a licitação ocorrida em 2013, para reforma daquela casa, em que respondem o atual presidente Carlinhos e um funcionário do quadro efetivo, a outra por confecções de um boletim informativo da Câmara, respondem os gestores Carlinhos, Roberto Dias e Jaime Bambil, além dos outros 10 vereadores que fizeram parte daquela legislatura, pois a promotoria considerou que todos fizeram propaganda pessoal nos informativos, obtendo vantagens indevidas.

Vereança II
Além disso o advogado amambaiense Daniel Ribas, que havia protocolado uma Ação Popular, para acabar com a famosa ajuda de custo, hoje estipulada em R$ 3000,00, informou
que recorreu de uma decisão do Juiz de Amambai que a tinha julgado extinta e o Tribunal de Justiça do Estado mandou dar seguimento na ação e segundo o próprio, a qualquer momento pode sair uma liminar suspendendo a verba indenizatória paga aos vereadores de Amambai, que além dessa verba recebem cerca de R$ 6000,00 de salário.

Empresa ganha aditamento em contrato
A prefeitura de Amambai aditou, no ultimo dia 25 de janeiro, mais de 109 mil reais ao contrato existente já firmado com a C&C Construtora para execução de pavimentação asfáltica e drenagem pluvial em diversas ruas do município. A referida empresa pertence a familiares do Vice Valter Brito.
Link
Relacionadas »
Comentários »

O atual prefeito, Dr Bandeira, deve tentar uma vaga de Deputado Estadual nas próximas eleições?

77.9%
22.1%